De acordo com uma nota diocesana a que a VOA teve acesso, a posição da Igreja Católica foi tomada em virtude de se considerar incompatível o exercício do ministério sacerdotal em simultâneo com o desempenho de actividades de caracter politico.

Félix Cubola foi eleito em Acra, Gana, para desempenhar as funções de presidente do Alto Conselho de Cabinda, uma organização criada por políticos, associações e quadros independentes de Cabinda para a busca de consensos para uma visão comum entre as várias sensibilidades de Cabinda.

“Interpelado para esclarecimentos sobre o seu engajamento político no criado Alto Conselho de Cabinda, o sacerdote não fez nenhum pronunciamento”, diz a nota assinada pelo bispo da Diocese de Cabinda.

A nota esclarece ainda que “consultado o clero diocesano e considerando a delicadeza e gravidade do compromisso assumido pelo sacerdote em relação ao ministério sacerdotal a igreja decidiu suspender o sacerdote com efeitos imediatos”.

Nos últimos anos a Diocese de Cabinda expurgou do exercício presbiteral vários sacerdotes ligados à causa política e outros por não aceitarem comungar com o ex-bispo Filomeno Vieira Dias.

Em 2007, o Vaticano decidiu por decreto o afastamento de Jorge Casimiro Congo, Raul Tati e Alexandre Pambo de todas as suas faculdades sacerdotais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.