Em carta aberta e divulgada nas redes sociais, Idrissa Djalo diz que, mais de que disputas politicas, a Guiné-Bissau devia avançar rápidamente para a assinatura de um Pacto Nacional.

Esse pacto não só serviria para dar respostas aos problemas económicos, sociais e políticos, mas sobretudo respostas à pandemia do novo coronavirus, que varre o mundo, mas que ainda não chegou à Bissau, embora esteja já na região senegalesa de Ziguinchor, a escassos quilómetros do território guineense.

O líder do Partido da Unidade Nacional, que fazia parte do Governo demitido, Idrissa Djalo, entende que as querelas políticas estão a dificultar a assistência de parceiros internacionais. Ora essa assistência é necessária, para fazer face à ameaça do terrível vírus.

Grande parte dos parceiros da Guiné-Bissau mostra-se relutante em apoiar qualquer iniciativa do Governo em funções, por discordar da forma como foi instituído.

Idrissa Djalo  faz três propostas: adiar as disputas sobre o contencioso eleitoral, criar uma equipa de trabalho com especialistas na saúde publica e uma outra equipa com especialistas em economia.

Estas duas equipas técnicas, teriam todas as competências para propor estratégias nacionais de prevenção do coronavirus e também para minimizar o impacto em caso de a doença chegar ao país.

Mais pormenores com Mussa Baldé.


Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.