A França vai reforçar as medidas de segurança para os seus cidadãos na região do Sahel. Esta foi a promessa de Emmanuel Macron, que presidiu hoje por vídeo conferência, no seu local de férias do sul de França - o Forte de Brégançon - a um Conselho de Defesa do país europeu,

Cerca de uma dezena de especialistas partiram hoje de França, também, rumo ao Níger, no quadro de uma investigação ao acontecimentos que levaram ao ataque e morte dos cidadãos nigerinos e franceses.

Já o Conselho de Segurança do Níger anunciou, na noite passada, que vai alargar o dispositivo de estado de emergência ao conjunto da província de Tillabery, no sudoeste do país - só a capital Niamey, situada na província, escapa ao recolher obrigatório e à proibição da circulação de motorizadas, meio de transporte privilegiado dos jihadistas que terão feito o ataque.

O Níger suspendeu também o acesso à reserva de girafas de Kouré, a cerca de 60 quilómetros da capital.

Enquanto isso, a organização humanitária Acted anunciou esta terça-feira ter decidido suspender as suas atividades no país, descartando, porém, abandonar o mesmo, mas com a promessa de que vai avançar com uma queixa para conhecer as condições exactas do ataque que causou vítimas mortais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.