As opiniões divergem, como divergiram acerca dos lançadores de granadas de defesa (LGD), visto terem-se registado já muitas vítimas durante as recentes  manifestações dos chamados “coletes amarelos”.

As granadas em questão, são utilizadas pela policia francesa há 15 anos, e são uma arma intermediária, destinada a dispersar a multidão, pois produzem um barulho assustador. Uma vez lançadas, explodem cerca de dois segundos depois.

A sua utilização, pelas forças de segurança francesas, é bastante contestada pelos manifestantes, e sobretudo pelas organizações de defesa dos direitos humanos.

A polémica surgiu depois de um manifestante ter ficado com uma mão esfacelada, no passado Sábado, durante a 13° edição das manifestações contra a política de Emmanuel Macron.

Segundo testemunhas, um manifestante filmava outros manifestantes que tentavam entrar à força na Assembleia Nacional Francesa, em protesto contra a lei anti-vandalismo, aprovada em primeira leitura na semana passada.

As forças de segurança foram obrigadas a intervir, e lançaram gaz lacrimogénio  e granadas para dispersar a multidão. Uma das granadas explodiu quando aquele manifestante tentou afastar – com a mão – uma granada que lhe tinha atingido uma perna.

A vítima perdeu quatro dedos, e recebeu os primeiros-socorros no local, donde foi depois conduzida para o hospital.

O Governo francês anunciou que foi aberto um inquérito sobre as circunstâncias deste acidente, ao mesmo tempo que vários jornalistas afirmam também ter sido alvejados pela polícia, com estas granadas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.