O partido presidencial deve reunir-se na quarta-feira à noite para confirmar a expulsão do deputado e matemático Cédric Villani.

E isto conforme confirmado hoje por Stanislas Guerini, o respectivo líder.

O chefe de Estado, Emmanuel Macron, tinha pedido a Villani para que este se juntasse ao candidato oficial Benjamin Griveaux.

Villani manteve, porém, unilateralmente a sua candidatura consumando a ruptura.

Sei o que devo ao presidente da república, e sei também o que devo aos cidadãos, aos parisienses que confiam em mim. Amanhã estarei ao lado deles, a minha campanha continua em perfeita independência.”

Por seu lado Benjamin Griveaux, candidato oficial, pois, de La République en marche, afirma, ainda assim que a sua porta se mantém aberta a Villani.

Caso ele viesse a mudar de ideias a minha porta manter-se-ia aberta como sempre esteve desde o primeiro dia. Esta será a minha única postura que manterei até ao fim.”

De acordo com uma sondagem publicada neste domingo pelo Le Figaro, Benjamin Griveaux conseguiria 16% dos votos, na primeira volta, com Cédric Villani a arrecadar 10%, muito atrás da autarca actual, a socialista Anne Hidalgo (23%) e da candidata da direita Rachida Dati, com 20%.


Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.