“A fome não é um problema de uma pessoa, é um problema de segurança nacional”, avisou o prelado que disse ainda que “em alimentação adequada o país vai começar a destabilizar-se gradualmente”.

O problema da fome no sul do país com “mais eficácia e seriedade”, acrescentou.

O prelado católico que falava durante as jornadas parlamentares da UNITA no Lubango solicitou ao executivo que declare imediatamente o estado de emergência na região sul de Angola.

“Há famílias que não têm mesmo nada absolutamente nada”, disse.

“São essas pessoas que estão a viver de frutos silvestres”, acrescentou Pio Wakussanga para quem “é preciso agir com celeridade para que alguma coisa se possa fazer”.

“Até agora as medidas tomadas não foram efectivas”, disse ainda o prelado

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.