A beleza pode destruir a hipótese de uma mulher alcançar uma profissão dita “masculina”, revela um estudo da Escola de Negócios da Universidade de Denver, Colorado.

Mulheres bonitas enfrentam discriminação quando concorrem a profissões onde não é dada à aparência tanta importância, por exemplo, como directora financeira, engenheira mecânica ou supervisora de obras. Guarda prisional, condutora de reboques, directora de segurança ou vendedora de hardware foram outras das profissões enumeradas.

“Nestas profissões ser-se bonita é altamente prejudicial para as mulheres. Noutra profissão qualquer as mulheres mais atraentes são preferidas. Mas o mesmo não acontece com os homens, o que mostra que ainda existe um critério duplo no que toca ao género”, garante a investigadora Stefanie Johnson, acrescentando que as mulheres bonitas são muitas vezes remetidas para profissões como recepcionista ou secretária.

Arco da Velha

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.