Uma reunião agendada para a passada sexta-feira, 15 de Novembro, não produziu qualquer resultado depois de a ministra do Ensino Superior, Maria do Rosário Sambo, não ter comparecido ao encontro.

A ministrou alegou sobreposição de agenda e delegou um representante que, no entender do sindicato, não domina o processo, instalando-se o impasse.

“Consideramos uma falta de respeito para com o parceiro sindicato que merecia pelo menos um aviso prévio, para a ausência da ministra”, Manuel Domingos, em nome do SINPES.

Quatro pontos estavam previamente agendados, segundo o coordenador do SINPES para as regiões Luanda Bengo.

“As eleições na universidade publica, até agora todos os dirigentes da universidade publica estão com os mandatos expirados, a questão da divida pública que o Governo tem para com os professores, a promoção dos professores, e a formação dos docentes”, acrecentou Carlinhos Zassala.

O SINPES deu uma moratória de 15 dias para que o Ministério do Ensino Euperior se pronuncie sobre estes pontos.

Até agora não houve qualquer pronunciamento do Ministério.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.