Ao todo, 28 homens terão sido executados por terem planeado um golpe em 1990, com o objetivo de derrubar o antigo Presidente sudanês Omar al-Bashir, um ano depois de o próprio ditador ter assumido o poder, na sequência de um golpe militar.

Uma equipa de 23 investigadores esteve durante as últimas três semanas no local onde foi encontrada a vala comum, a zona de Sahafa, a sul da capital Cartum, por ordem do Ministério Público do Sudão. O objetivo era procurar todo o tipo de indícios que possam servir de provas num iminente julgamento contra al-Bashir, que é acusado de ter liderado um sangrento golpe militar em 1989 contra o primeiro-ministro democraticamente eleito, Sadek al-Mahdi.

Omar al-Bashir, de 76 anos de idade, foi deposto em 2019, após meses de protestos. Enfrenta agora várias acusações em tribunal, entre as quais as de ter minado a Constituição, de ter violado a Lei das Forças Armadas, assim como de ter orquestrado uma rebelião contra o poder institucional.

Em finais de 2019, al-Bashir foi condenado por corrupção, mas ainda não foi julgado por supostos crimes contra a humanidade cometidos durante o seu regimento a "punho de ferro". O Sudão é atualmente dirigido por um governo de transição, composto por militares e civis.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.