Na hora da despedida daquele que governou o país com mão de ferro Ivo Sobral, professor de relações internacionais na Universidade Abu Dhabi, alega que os egípcios estão particularmente divididos quanto ao seu legado e ao seu papel na história.

E isto por Mubarak ter garantido a estabilidade a um país que agora dela carece, embora com fundo autoritário e repressivo.

Três dias de luto nacional foram decretados a partir desta quarta-feira pelo regime de Abdel Fattah al Sissi, também ele um militar a encabeçar um regime autoritário.

Este na noite passada tinha saudado em Mubarak um dos “heróis da guerra de Outubro de 1973″ contra Israel durante a qual tinha dirigido a Força aérea.


Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.