Um conjunto de depoimentos dos participantes no movimento da libertação angolana será publicado em livro, este ano, em Angola, anunciou à Inforpress, no último fim-de-semana, a ministra angolana da Cultura, Rosa Cruz e Silva.

“Ecos da Clandestinidade em Angola” é o título do livro contendo os depoimentos, resultante de um trabalho de recolha efectuado pelo Arquivo Histórico Nacional de Angola. Esta instituição conseguiu obter testemunhos para o lançamento, ainda este ano, do primeiro volume desta obra.

Na obra serão transcritos entrevistas e depoimentos de vários intervenientes na luta armada angolana, alguns dos quais já faleceram depois de terem contado as suas histórias, sublinhou a governante.

A publicação de mais volumes do “Ecos da Clandestinidade em Angola” depende do número de depoimentos que o Arquivo Histórico Nacional conseguir reunir. Rosa Cruz e Silva garante que para a perpetuação da memória dos nacionalistas angolanos serão publicados os volumes que forem necessários.

Além da publicação desse livro de memórias, o Governo de Angola executa o projecto de recuperação de espaços emblemáticos que marcaram a luta armada naquele país.

A cadeia da Casa de Reclusão, antecâmara do Campo do Tarrafal e primeira prisão dos nacionalistas angolanos, em Luanda, é um desses espaços. Está a ser recuperado para fins culturais, segundo a governante angolana.

Vão ser recuperados, também, os campos de concentração de São Nicolau e Missombo

SAPO AO com Inforpress

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.