O consumo de drogas nos jovens é um fenómeno que tem aumentado substancial nos últimos tempos. Agora, uma nova tendência surge na internet, as e-drugs, que segundo o Jornal de Notícias Português, são sons baseadas em batidas binárias, um fenómeno neurológico que consiste em emitir sons diferentes em cada ouvido e que estimula o cérebro, produzindo sensações de euforia, estados de transe ou de relaxamento, segundo quem as consome.

Com a origem nos EUA, as e-drugs tem uma duração entre 15 a 30 minutos e as sessões (doses) podem ser encontradas em diversos portais de internet que fazem a comercialização.

No entanto não existem estudos que apontam para quais são os efeitos secundários do consome das e-drugs, apesar de alguns especialistas confirmarem que não há risco de criar vício.

E segundo alguns especialistas em neuropsicologia, as batidas binárias relaxam, ajudam à concentração e são utilizadas para fins terapêuticos em doenças como o autismo.

 Algumas frequências podem estimular a imaginação ou a criatividade, o que poderia produzir as alucinações que os consumidores das e-drugs afirmam ter depois ou enquanto ouvem as sessões. No entanto, há vozes que alertam para a possibilidade de as drogas digitais poderem causar disfunções cerebrais se consumidas em excesso.

Mas o caso mais recente de consumo generalizado chega de França, que de acordo com o Jornal de Notícias, o que levou a alguns especialistas franceses a desconfiarem dos perigos das e-drugs para os consumidores.

Para quem consume os perigos não interessam, e encontram nas redes sociais uma forma de partilhar as experiencias, onde aproveitam também para recomendar melhores doses aos produtores.

Os hipotéticos perigos das e-drugs não parecem preocupar muito os mais jovens, que até partilham as suas experiências nas redes sociais, onde recomendam as melhores doses.

"Senti chamas nos meus braços, que baixavam pouco a pouco até aos dedos dos pés. Tinha a impressão de que o meu braço pesava uma tonelada e um dos meus dedos estava curvado. Então, comecei a sentir-me muito estranho, foi genial", relatou, num fórum online, "Sugar Killer", que afirmou também ter visto uma tartaruga, um elefante verde e até o Pai Natal, no fundo da sua cama.

"O meu coração batia muito forte e tremi como um louco. Depois acalmei-me e a dose acabou. Respirei fundo e pensei que foi genial. Efeitos depois da dose: excitação e vontade de ser muitas coisas", afirma uma consumidora, que assina "Larta".

"No início, nada de especial. Como sempre, o relaxamento muscular... mas aos dez minutos senti-me super bem. Tinha mais sensibilidade nas extremidades e, de repente, tive uma erecção", comenta outro cibernauta.

SAPO com JN

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.