Mais de 7.000 documentos foram extraidos de sistemas informáticos ligados a Isabel dos Santos e às suas empresas pelo 'hacker' português Rui Pinto que está preso em Portugal e Albano Pedro fez notar que todos os documentos foram obtidos ilegalmente.

“Ninguém pode ser condenado com base em provas ilícitamente obtidas mas isso não impede que o ministério público avance com acusação”, disse o advogado

“Cabe ao tribunal chamar a atenção em sede do julgamento que este tipo de provas são inválidas”, acrescentou.

Albano Pedro disse ainda que Isabel dos Santos não está a agir para seu benefício pessoal com as constantes declarações que faz à imprensa e através das redes sociais sobre o caso.

“Isabel dos Santos não está a ser uma constituinte bem educada, em sede da justiça está a falar demais”, disse o advogado para quem ela “devia dexar-se aconselhar pelos seus advogados e deixar de falar deixando que sejamos advogados a falar”.

“Isto facilitaria a sua defesa e a possibilidade dos seus defensores articularem convenientemente a sua defesa se o processo chegar atribunal” , acrescentou.

Por outro lado Albano Pedro fez notar ainda que há poucas possibilidades de Isabel dos Santos regressar a Angola já que ela públicamente afirmou não confiar na justiça angolana por alegadamente estar a ser vítima de uma perseguição política.

O jurista  considera que o único mecanismo capaz de trazer Isabel dos Santos Luanda  seria por meio de um mandato de captura internacional, um procedimento que o jurista afirma ser possível só em casos em  há colaboração das polícias dos países de acolhimento, do âmbito  da Interpol.

“Se estiver num território onde esta colaboração não é possível, ela nunca será trazida para ser julgada em tribunal angolano”, disse.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.