Fonte da polícia avançou, nesta segunda-feira à Angop, que a formalização da prisão preventiva pela PGR aconteceu sexta-feira, tendo como base o desvio de 26 milhões e 483 mil e 280 kwanzas, de um total de 186 milhões 439 mil kwanzas referente ao período de  2016 a 2018.

Trata-se de dinheiro que deveria ser usado em obras de construção de pontes e estradas na província.

Igor Pereira está detido com mais três membros de direcção do INEA das áreas de finanças, técnica e projectos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.