Cerca de uma dezena de activistas do MIC, Movimento Independentista de Cabinda, foram detidos pela polícia na terça-feira na cidade de Cabinda quando se preparavam para efectuar uma manifestação alusiva a mais um aniversário do Tratado de Simulambuco. A marcha inicialmente programada para o dia 1 de Fevereiro, data em que se assinala efectivamente o aniversário, acabou por ser antecipada para o dia de ontem, já que na próxima sexta-feira decorre a cerimónia de abertura do ano lectivo no enclave. Mais pormenores com Avelino Miguel.

O Tratado de Simulambuco assinado entre o regime colonial português e líderes cabindenses que conferiu ao território o estatuto especial de protectorado, tem servido de base para movimentos separatistas reclamarem a independência do território, inclusivamente através de acções militares.

De Cabinda, são frequentes os relatos de confrontos com as Forças Armadas Angolanas no terreno bem como de violações dos Direitos Humanos das populações desta região que faz fronteira com as Repúblicas do Congo-Brazzaville e do Congo Democrático.

Ainda no passado mês de Agosto, 13 membros do MIC tinham sido detidos na residência do seu líder, quando se preparavam para realizar um encontro de apresentação desta que é uma nova organização separatista em Cabinda. Na altura, foram acusados da prática do crime de reuniões ilegais e de ataque contra a segurança do Estado, acabando por ser absolvidos durante o seu julgamento sumário alguns dias depois da sua detenção.


Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.