A PN, no entanto, garante estar no encalço dos presumíveis assassinos.

Kiesse João, atingido com dois tiros de pistola na zona pélvica quando saia de casa para a residência do deputado da oposição para render um colega em serviço, foi a enterrar nesta segunda-feira, 9, em Luanda, na presença de familiares, colegas e amigos.

O deputado da UNITA, Manuel Armando da Costa Ekuikui, mais conhecido por Nelito Ekuikui, reiterou que após atingir Kiesse João com dois tiros, os supostos assassinos permaneceram no local durante mais de 20 minutos até confirmar a morte do segurança, o que, para ele “é um recado que os indivíduos procuraram dar”.

Ekuikui disse que até o final do funeral, a PN “não deu qualquer explicação oficial à família”.

Entretanto, sem gravar entrevista, o porta-voz da corporação em Luanda Mateus Rodrigues confirmou à VOA que a investigação é do domínio da corporação e que outros detalhes serão fornecidos proximamente.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.