A resolução permite definir audiências como procedimentos para impugnação, sujeitar testemunhas a interrogatórios mais agressivos e acelerar o ritmo de uma investigação que abrange áreas que podem ser politicamente explosivas tanto para Trump quanto para o Congresso.

O presidente do Comité, Jerrold Nadler, disse que o processo vai começar na próxima semana.

“Os democratas nunca superaram o facto de eu ter vencido a eleição de forma justa”, disse Trump nas redes sociais.

“Se eles seguirem o caminho da impugnação, estarão dividindo a nação! É ridículo até falar sobre esse assunto quando todos os crimes foram cometidos pelo outro lado”, conclui o Presidente que, com apoio dos republicanos, considera a investigação do antigo procurador especial Robert Mueller sobre a interferência russa nas eleições de 2016 e a possível conspiração da campanha de Trump um esforço anterior contra a sua administração.

Os republicanos chamarama resolução de “fantasia” concebida para mascarar a relutância dos democratas em procurar no plenário da Câmara um inquérito formal de impuganção, como ocorreu durante o escândalo Watergate e no processo contra o antigo Presidente Bill Clinton.

Um inquérito mais agressivo também pode aumentar a pressão sobre líderes democratas da Câmara, como a presidente Nancy Pelosi, que vem resistindo à impugnação de Trump por vê-lo como um passo politicamente arriscado para democratas moderados de distritos disputados onde derrubar Trump é uma proposta impopular.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.