Mourão, general da reserva do Exército brasileiro, estava isolado desde sábado com sua mulher, Paula Mourão, no Palácio Jaburú, residência oficial da vice-presidência do país, depois de saber que esteve em contacto com um funcionário diagnosticado com o novo coronavírus.

Apesar de o primeiro teste realizado ter dado um resultado negativo no domingo, o vice-presidente preferiu ficar isolado, como medida preventiva, até o resultado do contra-teste, divulgado hoje, ter confirmado que não contraiu a doença.

“O vice-presidente retornará à sua agenda normal, no seu gabinete, na tarde desta quarta-feira”, informou um comunicado divulgado pela sua assessoria de imprensa, que revelou ainda o resultado negativo, quer de Mourão, quer da sua mulher.

Na semana passada, em obediência a uma decisão judicial, o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, divulgou os resultados de três testes que realizou ao novo coronavírus, e que deram resultado negativo.

Na realização dos exames médicos, Bolsonaro usou pseudónimos, alegando questões de segurança, preservação da imagem e privacidade.

A divulgação dos resultados foi exigida perante a Justiça pelo jornal O Estado de S. Paulo, alegando que, por se tratar do chefe de Estado, a informação tinha “interesse público”, apesar de Bolsonaro argumentar que era de natureza exclusivamente “privada”.

Jair Bolsonaro realizou os exames ao novo coronavírus após regressar de uma viagem aos Estados Unidos da América, em que pelo menos 23 pessoas da sua comitiva testaram positivo, entre eles os ministros do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, e de Minas e Energia, Bento Albuquerque, ambos com mais de 60 anos, além do secretário de Comunicação do Governo, Fábio Wajngarten.

Já no início deste mês, o porta-voz da presidência brasileira, general Otávio do Rêgo Barros, de 59 anos, testou também positivo para o novo coronavírus.

O Brasil totaliza 17.971 óbitos e 271.628 pessoas diagnosticadas com COVID-19 desde o início da pandemia no país, informou o executivo na terça-feira.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 323 mil mortos e infetou quase 4,9 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.