A informação foi hoje avançada à Lusa pela secretaria judicial do tribunal, salientando que está tudo suspenso até novas ordens.

“Julgamento, instrução contraditória, está tudo suspenso. O tribunal está a trabalhar a meio gás, só está a trabalhar uma pessoa por dia na câmara, estamos a cumprir a quarentena preventiva, por isso tudo o que envolva público, pessoas, está tudo suspenso”, disse a fonte.

O tribunal tinha marcado para quarta-feira as alegações finais do julgamento em que são arguidos Valter Filipe, ex-governador do Banco Nacional de Angola (BNA), de José Filomeno dos Santos, ex-presidente do Fundo Soberano de Angola, de Jorge Gaudens Sebastião, empresário angolano, e de António Bule Manuel, director do departamento de gestão de reservas do BNA, que respondem pelos crimes de peculato, burla por defraudação, branqueamento de capitais e tráfico de influência.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.