Um Antonov-124 da força aérea russa “com máscaras e equipamento médico partiu para os Estados Unidos”, indicou o Ministério da Defesa russo num comunicado.

Segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, esta ajuda foi referida numa conversa telefónica entre o presidente russo, Vladimir Putin, e o seu homólogo norte-americano, Donald Trump, na segunda-feira.

“Neste momento, quando esta situação afeta todo o mundo sem exceção e se tornou global, não há alternativa às ações no espírito da parceria e assistência mútua”, declarou Peskov na terça-feira à noite às agências de notícias russas.

A Rússia já enviou na semana passada vários aviões com virologistas, equipamento médico, laboratórios e sistemas de desinfeção móvel para Itália, onde a covid-19 já matou mais de 12.400 pessoas.

Nos Estados Unidos estão contabilizados cerca de 186.000 casos de infeção e um total de 4.076 mortos.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 828.000 pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 41.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 458.000 infetados e mais de 30.000 mortos, é aquele onde se regista atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 12.428 mortos em 105.792 mil casos confirmados até terça-feira.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.