Em conferência de imprensa a partir da sede da organização, em Genebra, Tedros Ghebreyesus afirmou que está tudo pronto para a equipa da OMS se encontrar com “os seus colegas chineses” a partir do fim de semana para começarem a “identificar a origem zoonótica [animal] da doença [covid-19]”.

Vão preparar o caminho para uma “missão internacional liderada pela OMS para identificar os anfitriões animais da covid-19 e determinar como a doença passou dos animais para os seres humanos”.

Tedros Ghebreyesus afirmou que a organização continuará a partilhar “os avanços científicos mais recentes com os meios de comunicação e com o público em geral”.

O secretário-geral da OMS reconheceu que tem “havido muita discussão” em torno da origem do novo coronavírus, sem se referir a nenhuma tese em particular.

Uma das teses, propagada pelo Presidente norte-americano, Donald Trump, e por membros da sua administração, prende-se com uma alegada origem num laboratório na cidade chinesa de Wuhan, onde começou a pandemia da covid-19.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 538 mil mortos e infetou mais de 11,64 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.