Atualmente, cerca de 90 mil residentes estrangeiros no Japão, incluindo trabalhadores e estudantes, estão retidos fora do arquipélago, que impede a entrada a nacionais de mais de uma centena de países, por causa da pandemia.

A partir da próxima quarta-feira, os residentes estrangeiros que deixaram o arquipélago antes de os seus países de origem terem sido afetados pela proibição serão autorizados a regressar, de acordo com o comunicado das autoridades divulgado na quarta-feira.

As pessoas elegíveis devem obter um certificado emitido pelas autoridades consulares do Japão no país onde se encontram e apresentar um teste negativo de COVID-19 realizado nas 72 horas anteriores.

Desde 03 de abril que o Japão alargou progressivamente a proibição de entrada a estrangeiros, para impedir a propagação da COVID-19, incluindo na “lista negra” 111 nacionalidades.

Na semana passada, funcionários do Conselho Empresarial Europeu (EBC) e da Câmara de Comércio Americana no Japão criticaram a duplicidade de critérios do arquipélago, afirmando que a diferença de tratamento entre cidadãos japoneses e residentes estrangeiros “não tem base científica”.

A pandemia de COVID-19 já provocou mais de 660 mil mortos e infetou mais de 16,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.