As autoridades de saúde de Moçambique apelaram este domingo (17.05) a toda a população para que reforce as medidas de prevenção da Covid-19 face aos sinais de um "aumento dramático" das cadeias de transmissão.

"Ao que tudo indica, há um aumento dramático do número de cadeias de transmissão na última semana", referiu Ilesh Jani, diretor-geral do Instituto Nacional de Saúde (INS).

"A tendência crescente de novas cadeias de transmissão em locais geográficos novos, associada ao não cumprimento das medidas de prevenção, poderá levar a um aumento da intensidade de transmissão em todas as províncias do país", referiu.

Esta evolução "poderá ser acompanhada por uma mudança do perfil demográfico e clínico dos casos infetados". Atualmente, a maioria tem entre 20 e 50 anos e quase todos (96%) são assintomáticos ou têm sintomas leves.

Segundo Ilesh Jani, "a janela de oportunidade para evitar a transmissão comunitária ainda existe, mas não será permanente: É preciso intensificar as medidas de prevenção para evitar o pior", afirmou.

Medidas mais duras

Na sexta-feira (15.05), o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, admitiu tomar medidas mais duras no âmbito do estado de emergência para prevenção da Covid-19 se persistir o incumprimento de algumas restrições, nomeadamente, se os níveis de circulação interna continuarem altos.

O estado de emergência vigora desde 01 de abril, tendo sido decretado até o final daquele mês e depois estendido até ao final de maio. "Os próximos 15 dias são decisivos para determinarmos qual será a nossa forma de estar depois desta segunda etapa", disse. "Ainda não é momento para relaxar as medidas", acrescentou.

Este domingo, Moçambique anunciou mais oito casos de infeção pelo novo coronavírus, elevando o total acumulado para 137, sem registos de mortes, e com 44 pessoas recuperadas. Ao nível da distribuição geográfica, das 11 províncias, em quatro ainda não há casos reportados, nomeadamente, no Niassa, Nampula, Zambézia e Gaza, anunciaram as autoridades.

por: Agência Lusa, kg

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.