O Fundo Galego para a Cooperação e Solidariedade anunciou que vários representantes das suas administrações locais associaram-se com autoridades locais de Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe na campanha “Os Municípios Cooperam”.

A iniciativa pretende reforçar a solidariedade internacional no contexto da crise provocada pela covid-19 e está a ser promovido nas redes sociais até 25 de maio próximo, Dia de África, com vídeos onde aparecem presidentes e conselheiros municipais, deputados regionais, pessoal técnico municipal e dirigentes de associações.

Nas mensagens, os responsáveis locais valorizam a cooperação ao desenvolvimento impulsionada pelos municípios e autoridades regionais, que vão ter um papel chave na superação da atual crise sanitária.

"O mundo está fortemente interconectado”, “não podemos voltar as costas ao que acontece no outro lado do planeta", "só uma resposta global pode vencer o coronavírus, que não tem noção das fronteiras" ou "a cooperação internacional é agora mais necessária do que nunca" são algumas das mensagens que estão a ser divulgadas.

O Fundo Galego para a Cooperação e Solidariedade sublinha em comunicado que qualquer pessoa ou entidade pode juntar-se a esta campanha através de vídeos curtos que serão lançados nos próximos dias.

A iniciativa tem ainda outras ações, como a recolha de adesões ao manifesto "Cooperação contra o coronavírus" promovido pela Confederação de Fundos de Cooperação e Solidariedade, organização formada por nove fundos de Estado que representam mais de 1.300 municípios.

O Fundo Galego recorda que muitos países da África lusófona vivem em "crise permanente", com falta de medidas de proteção social, e que está em risco a segurança alimentar para "milhões de pessoas" que vivem na pobreza, na guerra ou em campos de refugiados.

Em África, há 2.406 mortos confirmados, com quase 70 mil infetados em 53 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné-Bissau lidera em número de infeções (836 casos e três mortos), seguindo-se a Guiné Equatorial (439 casos e quatro mortos), Cabo Verde (289 casos e duas mortes), São Tomé e Príncipe (231 casos e sete mortos), Moçambique (107 casos) e Angola (45 infetados e dois mortos).

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 294 mil mortos e infetou mais de 4,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,4 milhões de doentes foram considerados curados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.