A chanceler alemã Angela Merkel começou a conferência de imprensa desta quarta-feira (06.05) a dizer que a primeira fase da pandemia de coronavírus na Alemanha ficou para trás, embora a pandemia continue "no início".

Segundo Merkel, o país "alcançou o objetivo de diminuir a velocidade de propagação do coronavírus e de impedir a sobrecarga do sistema de saúde, porque os cidadãos agiram de forma responsável em tempo de restrições".

Desde o anúncio das primeiras medidas de desconfinamento, há 14 dias, o número de infeções diárias por coronavírus na Alemanha diminuiu. Há vários dias que não ultrapassa os 1.000 casos. Ao todo, já foram registadas mais de 160 mil infeções no país, de acordo com dados do Instituto alemão Robert Koch.

Desconfinamento na Alemanha

Após uma conferência com os líderes dos 16 estados federados, esta quarta-feira, Angela Merkel anunciou o relaxamento de algumas das restrições no país.

Foi autorizada a reabertura de todas as lojas, independentemente da sua dimensão. No entanto, o número de clientes nos estabelecimentos terá de ser limitado para garantir o respeito pela distância mínima de segurança de 1,5 metros, que continua em vigor.

Utentes de lares de idosos ou instalações similares poderão voltar a receber visitas regulares "da pessoa de contacto permanente". E as restrições de contacto em vigor também deverão ser atenuadas. No futuro, familiares a viver em casas diferentes poderão encontrar-se em público. "Mas esta é ainda uma limitação de contactos muito clara", sublinhou a chanceler.

Em geral, pelo menos até 5 de junho, só são permitidos em público grupos de duas pessoas, excetuando famílias. É obrigatório manter o distanciamento físico e usar máscaras nos transportes públicos ou nas lojas.

Escolas e futebol

Esta quarta-feira foi também anunciado que todas as escolas podem reabrir gradualmente, desde que respeitem as regras de higiene. Além disso, acompanhamentos de emergência para crianças em idade pré-escolar devem ser alargados.

Os clubes da primeira liga de futebol, a Bundesliga, têm "luz verde" para voltar a jogar "a partir da segunda metade de maio". Ainda não foi definida uma data exata. O regresso do campeonato deverá basear-se no conceito de higiene e segurança elaborado pela Liga Alemã de Futebol (DFL), com jogos à porta fechada.

Eventos culturais em teatros, óperas e cinemas também voltam a estar autorizados, mas com limites de participação de pessoas: cada estado federado alemão irá desenvolver e implementar conceitos locais para o desconfinamento nestes e noutros setores, incluindo na hotelaria e na restauração.

Mecanismo de emergência

Além do relaxamento de mais medidas, os governos federal e estaduais chegaram a acordo sobre um mecanismo de emergência, para poder voltar a implementar restrições se o número de infetados em algumas regiões aumentar substancialmente.

A chanceler alemã mostrou-se satisfeita com as decisões, mas manteve o tom de alerta: "Podemos dar-nos ao luxo de um pouco de coragem, mas temos de ter cuidado", disse Merkel.

O líder estadual da Baviera, Markus Söder, também avisou que este ligeiro suspiro de alívio tem limites: "A preocupação mantém-se. Pode haver novas mudanças a qualquer momento".

Reação a críticas

Em resposta às críticas das associações comerciais, que consideram as novas medidas de relaxamento demasiado tímidas no que tange à economia, a chanceler Angela Merkel disse que a Alemanha tomou decisões corajosas em comparação com outros países.

"Não impusemos quaisquer proibições a grande parte da economia", lembrou. Noutros países, metade da produção foi encerrada. Portanto, a Alemanha continua num "caminho muito aberto e corajoso".

por: Cristiane Vieira Teixeira, DPA, Reuters

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.