Enquanto os sul-africanos se preparam para um confinamento nacional que começa nesta sexta-feira, numa tentativa de retardar a disseminação do vírus, o ministro da Saúde, Zweli Mkhize, anunciou nesta quarta-feira que o número de casos confirmados de Covid-19 aumentou para 709 durante a noite. Houve um aumento de 155 casos em um dia.

Em declarações à televisão estatal nesta quarta-feira, Zweli Mkhize disse que o maior aumento ocorreu em Joanesburgo, onde há 64 novos casos.

O Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, decretou terça-feira um confinamento nacional de três semanas no país para combater a propagação da pandemia provocada pelo novo coronavírus: «O bloqueio nacional será decretado em termos da Lei de Gestão de Desastres e implicará o seguinte A partir da meia-noite de quinta-feira 26 de março até meia-noite de quinta-feira 16 de abril, todos os sul-africanos terão que ficar em casa», confirmou.

O chefe de Estado sul-africano acrescentou que «ninguém poderá sair de casa, exceto em circunstâncias excepcionais».

O chefe de Estado admitiu que, além do Covid-19, o país se vê confrontado «com a perspetiva de uma recessão económica que encerrará muitos negócios e postos de trabalho». Ele anunciou a criação de um Fundo de Solidariedade para mitigar o impacto do surto na economia do país, tendo o Governo contribuído com cerca de 7,9 milhões de euros para o arranque da iniciativa público-privado.

O primeiro caso de Covid-19 foi confirmado na África do Sul a 5 de Março de um cidadão proveniente da Itália.


Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.