A África do Sul começou no mês passado a aliviar as restrições impostas em março para travar a propagação do novo coronavírus. Em meados de junho, o Governo autorizou a população a sair de casa por motivos de trabalho, religião, exercício físico ou compras e minas e fábricas puderam retomar totalmente as suas atividades – tudo, para tentar reanimar a economia.

Esta segunda-feira, está previsto um novo alívio de restrições para cinemas, casinos e restaurantes, numa altura em que o país regista 131.800 casos de Covid-19 e 2.413 mortes. Este domingo, o número de novos casos ultrapassou os 7.200. Em abril, registavam-se cerca de mil por dia.

No entanto, o turismo é uma fonte de rendimento importante e três meses de confinamento deixaram muitos negócios em dificuldades. "Continuamos os esforços para reativar o setor do turismo para que possamos salvar empresas e empregos no setor", disse o ministro do Turismo, Mmamoloko Kubayi-Ngubane, numa comunicação ao país na televisão, depois de alertar no mês passado para a existência de 600 mil postos de trabalho em risco se o setor continuasse fechado até setembro.

As viagens de negócios estão autorizadas desde 1 de junho, mas estadias de lazer por mais de um dia continuam proibidas para tentar travar a propagação do vírus.

Segundo Kubayi-Ngubane, os casinos vão funcionar a 50% da sua capacidade, enquanto cinemas e teatros só poderão receber no máximo 50 pessoas. Restaurantes, estabelecimentos de fast food e cafés voltam a poder disponibilizar lugares sentados, mas continuam proibidos de servir bebidas alcoólicas.

África do Sul: Mais de um terço das infeções do continente

Em África, registam-se mais de 371 mil infeções, incluindo 9.484 mortes, segundo os dados mais recentes do Centro Africano para o Controlo e Prevenção de Doenças.

A África do Sul regista mais de um terço dos casos continente. Reportou este domingo 7.210 casos, o número mais alto de infeções diárias do país, até agora.

A província de Cabo Ocidental, incluindo a Cidade do Cabo, apresenta 45% dos casos. Mas a província de Gauteng, incluindo a maior cidade do país, Joanesburgo, e a capital, Pretória, estão a braços com um aumento de casos, cerca de 26% do total nacional.

Este domingo, foram notificados mais de 10 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus em todo o mundo, mais de metade dos quais na Europa e nos Estados Unidos. Há registo de mais de quase 499.000 mortes.

por:content_author: AP, Reuters, Agência Lusa, mjp

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.