"Entristece-me profundamente anunciar que o primeiro-ministro, Amadou Gon Coulibaly, chefe do Governo, nos deixou no início desta tarde, depois de participar no Conselho de Ministros", afirmou o secretário-geral da presidência, Patrick Achi, na televisão pública do país, ao ler uma declaração do Presidente, Alassane Ouattara.

Gon Coulibaly tinha regressado à Costa do Marfim a 2 de julho, após quase dois meses em França, onde foi submetido a exames médicos relacionados com o coração, referiu a agência noticiosa EFE.

O atual primeiro-ministro tinha sido designado candidato do partido do Presidente, Alassane Ouattara, após este ter, em março, renunciado a disputar um terceiro mandato.

Com 61 anos, Gon Coulibaly, foi operado ao coração há alguns anos e, em finais de março, esteve em confinamento por ter estado em contacto com uma pessoa que testou positivo para o novo coronavírus, mas, entretanto, tinha já retomado a sua atividade.

"Após a morte do primeiro-ministro da República da Costa do Marfim, Amadou Gon Coulibaly, envio as minhas condolências entristecidas à sua família, ao Presidente Alassane Ouattara, ao Governo da Costa do Marfim e ao povo costa-marfinense. Descanse em paz", escreveu o presidente da Comissão da União Africana (UA), Moussa Faki Mahamat, na plataforma social Twitter.

Vida política

"Presto homenagem ao meu irmão mais novo, o meu filho Amadou Gon Coulibaly, que foi o meu colaborador mais próximo durante trinta anos. Saúdo a memória de um estadista de grande lealdade, devoção e amor pelo seu país. Ele encarnou esta jovem geração de executivos marfinenses de grande competência e extrema lealdade para com a nação. Com a morte de Amadou Gon Coulibaly, a Costa do Marfim perde um modelo para a sua juventude. Um exemplo de competência, trabalho árduo e auto-sacrifício", diz também a mensagem de Alassane Ouattara.

Amadou Gon Coulibaly nasceu a 10 de fevereiro de 1959. Aos 61 anos, foi nomeado candidato do RHDP, partido no poder, para as eleições presidenciais marcadas para outubro de 2020.

Tomou posse como primeiro-ministro sob o Presidente Ouattara a 10 de janeiro de 2017. Antes disso, ocupou durante quase três anos o cargo de ministro do Orçamento. No rescaldo da violenta crise política na Costa do Marfim, Amadou Gon Coulibaly assumiu o cargo de Secretário-Geral da Presidência da República em Abril de 2011.

Coulibaly integrou também o Executivo do antigo Presidente Laurent Gbagbo, que o nomeou ministro da Agricultura em outubro de 2002.

por:content_author: Agência Lusa, DW (Deutsche Welle)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.