A Coreia do Sul foi, depois da China, um dos primeiros países a ser atingido pelo novo coronavírus. Ainda assim, o país apresenta um balanço notável com menos de 11 mil contaminados e 247 mortos.

Esta quarta-feira, o país alcançou mais um passo significativo na luta contra o Covid-19 ao não registar nenhum caso de infecção local, nas últimas 24 horas. Apenas quatros casos foram reportados, todos vindos do exterior, pessoas que testaram positivo à chegada ao aeroporto sul coreano.

Ainda assim, as autoridades mantêm as fortes medidas de prevenção. Os museus e as escolas continuam encerrados e as creches, que reabriram, obrigam as crianças a usar uma máscara. O uso de máscara é também obrigatório nos locais de culto.

Na próxima semana, o campeonato de futebol vai retomar, mas os estádios estarão vazios.

A Coreia do Sul decidiu instaurar uma “quarentena da vida quotidiana”. Ficar em casa no caso de estar doente, manter uma distância de segurança de dois metros e arejar as casas são algumas das regras que os habitantes devem respeitar:

As autoridades decidiram igualmente prestar cuidados médicos aos emigrantes e às pessoas indocumentadas.

A Coreia do Sul foi um dos poucos países que optou por não instaurar o confinamento obrigatório, tendo optado pelo uso massivo de testes de despistagem. De acordo com a agência Yonhap, 620 mil coreanos foram testados, desde o início da pandemia, num de 50 milhões de habitantes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.