A República Popular Democrática da Coreia, o seu nome oficial, foi criada em 9 de setembro de 1948, três anos depois de Moscovo e Washington dividirem a península.

Esta data é uma das mais importantes no calendário político norte-coreano.

Os desfiles militares, supervisionados pelo líder Kim Jong Un, o terceiro membro de sua família a dirigir o país, são cruciais para os observadores internacionais, que examinam todos os detalhes para estarem a par dos mais recentes avanços em assuntos militares.

Normalmente, nesta parada são exibidas algumas das armas nucleares que Pyongyang deseja divulgar.

Mas este ano, segundo analistas, o Norte pode não mostrar os seus avanços neste campo, tendo em conta a aproximação diplomática entre as duas Coreias.

Para o espectáculo coreográfico de massa, que este ano recebe o título de "O país glorioso", segundo a agência oficial norte-coreana KCNA, os 100 mil participantes ensaiaram durante meses.

Vários convites diplomáticos foram enviados a líderes estrangeiros, mas não se espera a presença de muitas autoridades internacionais.

Além de rumores sobre a presença do presidente chinês Xi Jinping, a delegação do principal aliado do país será liderada por Li Zhanshu, um dos sete membros do Comité Permanente do Departamento Político.

Além disso, nesta sexta-feira, o ator francês Gérard Depardieu foi visto num hotel em Pyongyang por um jornalista da AFP.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.