A reunião, que contará com a presença do ministro das Relações Exteriores (MIREX) angolano, Manuel Augusto, irá analisar também a situação financeira da SADC, o balanço da implementação das decisões da reunião ministerial, a formulação da agenda 2020 da organização e o relatório do comité de finanças.

Segundo o comunicado do MIREX angolano, o Conselho de Ministros da SADC vai ser informado sobre os processos de integração continental e regional, sobretudo na forma como a região tenciona implementar a Agenda 2063 da União Africana (UA), as reformas institucionais da organização e o Acordo de Parceria Pós-Cotonou.

Por outro lado, será debatida a situação das contribuições dos Estados-membros à proposta de plano institucional e do orçamento da organização referente ao exercício económico 2019/2020, assim como os progressos registados na gestão financeira da organização.

Os chefes da diplomacia dos 16 Estados-membros da SADC vão também aprovar a transformação do Fórum Parlamentar da SADC em Parlamento Regional, ideia proposta por Angola em 2018, bem como recomendar a respetiva adoção na próxima cimeira de chefes de Estado e de Governo da organização, que decorrerá em Dar-es-Salam (Tanzânia) em agosto próximo.

Quanto à formulação da agenda Pós-2020 da SADC, organização que Moçambique também integra, a reunião ministerial irá igualmente deliberar sobre a apresentação do Relatório Preliminar sobre a formulação da Visão 2050 e do Plano Estratégico para 2020-2030.

Na reunião de Windhoek, lê-se no comunicado, a delegação angolana irá falar sobre a necessidade de os Estados-membros cumprirem com as suas obrigações financeiras, incluindo as contribuições adicionais dentro dos prazos acordados, e enfatizar a premência do processo de formulação da Visão 2050 e do Plano Estratégico 2020-2030.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.