Uma nota de imprensa do Ministério das Relações Exteriores refere que o encontro visa, essencialmente, estreitar as relações bilaterais entre os dois países, cuja agenda estará centrada na análise da situação de segurança ao longo da fronteira comum, principalmente, medidas de segurança para mitigar a propagação da covid-19 ao longo da fronteira.

Constam do programa uma abordagem sobre as medidas de prevenção e combate ao terrorismo e à imigração clandestina, localização, reabilitação e reposição dos marcos fronteiriços, a análise e apreciação dos incidentes ocorridos ao longo da fronteira comum.

O encontro permitirá, de igual forma, a assinatura de vários instrumentos jurídicos, nomeadamente o Acordo de cooperação entre os ministérios do Interior de Angola e da República Democrática do Congo, em matéria de segurança e ordem pública e um outro acordo, em matéria de circulação de pessoas e bens ao longo da fronteira.

A delegação de peritos da RDCongo chega a Luanda neste domingo 13 de Setembro, enquanto a delegação ministerial estará na capital do país no dia 15 de Setembro.

A reunião de peritos, a acontecer nesta segunda, vai ser presidida pelo Comandante Geral da Polícia Nacional, Comissário Geral, Paulo Gaspar de Almeida.

Já no dia 16 de Setembro de 2020, a reunião terá uma agenda de trabalho preenchida de questões pertinentes, com destaque para as cerimónias de abertura e encerramento, em que serão proferidos os discursos de abertura e encerramento do co-presidente e presidente, o ministro do Interior (da reunião bilateral), Eugénio César Laborinho.

Integram ainda a delegação angolana os ministros da Defesa Nacional e Veteranos da Pátria, e das Relações Exteriores, João Ernesto dos Santos e Téte António, respectivamente, assim como outros membros do Executivo.

A comitiva congolesa será chefiada pelo vice-primeiro-ministro e ministro do Interior, Gilbert Kankonde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.