O nome de Pedro Domingos terá sido arrolado no caso pelos dois efetivos já em prisão preventiva no âmbito do mesmo processo e a sua detenção oficializada pela PGR junto do SIC após interrogatório na terça-feira, 28.

O comandante da Huíla da Polícia Nacional, comissário Divaldo Martins, apesar de não ter sido oficialmente notificado pela PG, sobre a medida de coação pessoal de prisão preventiva decretada a Pedro Domingos, confirmou a detenção.

“Estamos a aguardar que a todo o momento nos seja então remetida essa informação de forma oficial, mas de fato e porque o Ministério do Interior é um sistema sabemos que foi notificado já ontem pelos Serviços Prisionais e que foi então aplicada essa medida de coação ao comandante do município do Lubango”, afirmou Martins.

Pedro Domingos, superintendente-chefe que estava a iniciar funções à frente do comando municipal do Lubango da PN, dirigiu nos últimos 15vanos a Unidade Operativa de Trânsito da capital Huíla, que tinha a responsabilidade de acolher todos os meios rolantes apreendidos nas diferentes operações policiais.

É desta unidade policial que terão sido desviadas 24 motorizadas, duas das quais vendidas.

Arrolados no mesmo processo estão igualmente um inspector e um sub-chefe ambos da Unidade Operativa de Trânsito do Lubango.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.