David Carradine foi encontrado morto ontem no quarto de um hotel em Bangecoque. As autoridades locais alegam suicídio por enforcamento. O actor da série «Kung Fu» e do díptico «Kill Bill» tinha 73 anos.

Embora Chuck Binder, o agente de David Carradine, tenha tentado contradizer os piores rumores, defendendo que o actor morreu por «causas naturais», já está praticamente confirmada a tese de suicídio: a polícia tailandesa confirmou à BBC que o intérprete foi encontrado morto no guarda-fato do seu hotel de luxo, com uma corda em redor do pescoço e dos genitais. Os agentes no local terão confirmado tratar-se de suicídio por não encontrarem vestígios de luta ou outros elementos estranhos no quarto. Carradine estava actualmente na Tailândia a rodar o filme «Stretch».

O actor era filho do célebre actor John Carradine e irmão dos também actores Keith Carradine, Bruce Carradine e Robert Carradine. A sua carreira dispersou-se pelo cinema e a televisão e foi no pequeno ecrã que encarnou a personagem que o imortalizou, Kwai Chang Caine, na série série «Kung Fu», entre 1972 e 1975.

A sua imagem numa mais deixou de estar ligada às artes marciais embora a sua filmografia, de mais de uma centena de títulos, seja bastante variada, destacando-se, entre as personagens que interpretou, a do assaltante de comboios de «Uma Mulher da Rua», um dos primeiros filmes de Martin Scorsese, o acrobata de circo desempregado de «O Ovo da Serpente», de Ingmar Bergman, e, principalmente, a sua encarnação do cantor «folk» Woody Guthrie em «Caminho da Glória», de Hal Hashby.

Porém, o apelo das artes marciais falou sempre mais alto junto do público e foi graças a ele que David Carradine voltou em grande à atenção dos cinéfilos, no díptico «Kill Bill», de Quentin Tarantino, na personagem que dá nome aos filmes e que Uma Thurman tem como missão matar.

SAPO

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.