"A segurança está no centro do que somos na Boeing e garantir viagens seguras e confiáveis dos nossos aviões é um valor duradouro e um compromisso absoluto com todos", destacou Muilenburg.

"Em breve divulgaremos uma actualização do software e do treino para pilotos do 737 MAX que abordará as preocupações surgidas após o acidente com o voo 610 da Lion Air", disse Muilenburg.

"Toda a nossa equipa está focada na qualidade e na segurança dos aviões que desenhamos, produzimos e apoiamos".

"Também compreendemos e lamentamos os inconvenientes causados a nossos clientes e ao público que viaja devido a permanência em terra da frota" de 737 MAX.

O acidente com o voo da Ethiopian Airlines deixou 157 mortos, cinco meses após um avião do mesmo modelo da Lion Air cair na Indonésia, matando 189 pessoas.

As semelhanças entre os dois acidentes colocaram em dúvida o tempo de reação da Boeing diante de um claro problema no sistema de estabilização MCAS, identificado após a primeira queda.

O jornal The Seattle Times revelou no domingo laços estreitos entre o pessoal da Boeing e funcionários da agência americana reguladora da aviação, a FAA.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.