Citando fontes do departamento de Segurança Interna e fugas de informação enviadas por email, o jornal norte-americano noticiou, na quinta-feira, que funcionários da Casa Branca abordaram o plano em novembro do ano passado, solicitando aos funcionários de várias agências para que membros de uma caravana de imigrantes fossem presos na fronteira entre o México e os Estados Unidos, para depois serem enviados "para cidades-santuário de pequeno e médio porte".

As 'cidades-santuário', geralmente governadas por democratas, tornaram-se famosas por recusarem a entregar imigrantes indocumentados às autoridades federais, para posterior deportação.

A Casa Branca disse à agência de imigração e alfândega (ICE, sigla em inglês) que o plano procurava aliviar a falta de espaços de detenção, mas também enviar uma mensagem aos democratas, salienta o jornal.

O plano foi rejeitado pelo ICE, e um alto funcionário da agência disse que o mesmo gerou muitas preocupações e que também levantou "riscos de RP [relações públicas]".

Não obstante, o Washington Post indica que um funcionário da Casa Branca e um porta-voz do departamento de Segurança Interna declararam que o plano já não está a ser equacionado.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.