Os manifestantes já haviam colocado cordas e correntes na estátua de Andrew Jackson, Presidente dos Estados Unidos entre 1829 e 1837, quando os polícias lançaram gás lacrimogéneo para dispersar o protesto.

A estátua de Jackson fica localizada em Lafayette Park, o epicentro dos protestos antirracistas em Washington, mesmo à frente da residência ocupada pelo atual Presidente dos EUA, Donald Trump.

Além de Jackson, no parque estão as estátuas do Marquês de La Fayette, do Conde de Rochambeau, do general polaco Tadeusz Kosciuszko e do barão prussiano von Steuben, todos eles heróis da independência norte-americana.

O Lafayette Park já tinha sido palco de confrontos em 01 de junho, quando as forças de segurança dispersaram manifestantes, durante um protesto pacífico, com cargas policiais e lançamento de gás lacrimogéneo para que o Presidente pudesse tirar uma foto com uma Bíblia na mão, em frente a uma igreja próxima.

Essa nova onda de protestos nos EUA, que começou com o homicídio do afroamericano George Floyd às mãos da Polícia em Minneapolis, também foi caracterizada por ataques a estátuas em todo o país.

O principal objetivo dos manifestantes foram os símbolos da Confederação – associados à defesa da escravidão – que abundam especialmente nos estados do sul, mas estátuas dos conquistadores espanhóis ou dos “pais fundadores” dos Estados Unidos também foram atacadas.

Em Washington, na sexta-feira, manifestantes derrubaram a estátua do oficial confederado Albert Pike, localizada à frente da esquadra central da Polícia do distrito de Columbia e cercada por edifícios judiciais.

Em resposta ao derrube da estátua, Trump criticou a gestão dos protestos na capital que está a ser feita pelo autarca democrata Muriel Bowser, que renomeou a rua próxima do Parque Lafayette de “Black Lives Matter” (Vidas negras importam).

“A Polícia do distrito de Columbia não está a fazer seu trabalho quando vê derrubarem e incendiarem uma estátua. Essas pessoas devem ser detidas imediatamente. Uma desgraça para o nosso país!”, disse o Presidente.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.