O número de migrantes que cruzam a Líbia para chegar à Europa multiplicou-se por dez desde a queda de Muammar Gaddafi em 2011, de acordo com dados da ONU.

Desde 2017, com o crescente número de naufrágios de navios precários no Mediterrâneo e a divulgação de um relatório da CNN que mostrava um mercado de escravos na Líbia, que o tema se tornou mundialmente conhecido.

"Em 2017, o mundo ficou abalado com as atrozes imagens que mostravam a venda de pessoas para a escravidão na Líbia. Em resposta a essa situação, o Canadá foi um dos poucos países que trabalharam com o ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) para trazer esses refugiados diretamente da Líbia e oferecer-lhes uma nova casa no Canadá, disse Hussen, um ex-refugiado da Somália e agora no Governo do Canadá, através de comunicado.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.