“Graças a Deus, ninguém foi atingido”, disse à VOA o porta-voz do partido, Sande Carmona.

As imagens da viatura na qual Pelembe viajava, após uma jornada de campanha eleitoral na zona da Manhiça, mostram que foi atingida por vários tiros, em particular na sua parte frontal.

O incidente ocorre um dia após o funeral do observador eleitoral e defensor de direitos humanos Anastácio Matavel, morto em Xai-Xai, Gaza, por agentes da Polícia de Moçambique.

Analistas dizem que a violência eleitoral é uma manobra que a Frelimo, no poder, usa para intimidar a oposição e defensores de direitos.

“Não há dúvidas que é mesmo um programa da Frelimo para intimidar (a oposição) de modo a continuar no poder,” asseverou Carmona.

De acordo com o porta-voz do MDM, a Polícia diz que não tem ainda pistas dos mentores do ataque de hoje.

Mas, acrescenta, essa é uma afirmação difícil de acreditar, tendo em conta que, esta semana, a corporação viu-se forçada a admitir que seus agentes mataram Anastácio Matavel.

Tudo torna-se complicado “quando quem deveria proteger, mata”, conclui Carmona.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.