O “histórica aeronave” número 1.600, um modelo E190-E2 da nova geração de aviões da empresa, foi ontem entregue à companhia aérea suíça Helvetic Airways, indicou em comunicado a fabricante brasileira, líder mundial no segmento de aeronaves para voos regionais (com até 150 assentos).

“É uma honra, como novo presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial, entregar esta simbólica aeronave. É um imenso marco para o nosso programa de E-Jets e para a história da empresa”, disse Arjan Meijer.

A família de modelos de E-Jets da Embraer, cuja primeira geração entrou ao serviço em 2004, é usada por cerca de 80 companhias aéreas em 50 países e acumulam, em conjunto, mais de 30 milhões de horas de voo, de acordo com a Embraer.

Além das 1.600 já entregues, existem outras 300 encomendadas, incluindo algumas adquiridas por novos clientes, o que poderá elevar até 100 o número de companhias aéreas que voam com aeronaves brasileiras.

“Trata-se da linha de aviões de passageiros de maior êxito da indústria, projetada especificamente para o segmento de 70 a 15 passageiros”, avaliou a Embraer em comunicado.

A segunda geração dos modelos da empresa, E-Jets E2, entrou em operação em 2018 e é especialmente caracterizada pelo seu consumo de combustível significativamente menor.

A Embraer comemorou o feito quando se recupera do golpe causado pelo anúncio feito há um mês pela norte-americana Boeing, que rescindiu o acordo pelo qual fundiriam parte dos seus negócios.

A construtora aeronáutica estimou que a desistência da Boeing da parceria gerou perdas de 485 milhões de reais (81,15 milhões de euros) e já anunciou ter dado início aos procedimentos arbitrais relativos à rescisão do acordo para sanar este prejuízo.

A comemoração também ocorre em tempos de incerteza para o mercado da aviação global devido à crise causada pela pandemia do novo coronavírus, que deixou em terra milhões de aeronaves em todo o mundo e já obrigou várias companhias aéreas a demitir centenas de funcionários e até declarar falência.

A empresa brasileira Embraer mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, na América, África, Ásia e Europa.

Em Portugal, no Parque de Indústria Aeronáutica de Évora, funcionam duas fábricas da Embraer, que também é acionista da OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal, com 65% do capital, em Alverca, distrito de Lisboa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.