O Brasil registou na terça-feira (5/05) 615 mortes e mais de 10 000 casos de coronavírus num único dia.

Várias cidades do norte do país já decidiram implementar um isolamento social forçado, para tentar reduzir as filas para camas e ventiladores nos hospitais.

O Rio de Janeiro também começa também a reforçar as medidas restritivas.

No Brasil a fiscalização das medidas de isolamento social, implementado há mais de seis semanas, é fraca e há cada vez menos pessoas cumprem a recomendação de ficar em casa, apesar de o país ter a mais elevada taxa de contágio no mundo e está perto de se tornar o epicentro mundial da pandemia, segundo investigadores.

Nas últimas horas, as cidades São Luís, Fortaleza e Belém anunciaram um reforço das medidas restritivas.

Tentando evitar um confinamento total e as suas consequências para a economia, o autarca de São Paulo Bruno Covas acaba de anunciar um sistema rotativo para veículos, cujo objectivo é reduzir a circulação de pessoas e melhorar a qualidade do ar. “...no momento em que se combate um vírus, que causa uma série de mortes, inclusivé com doenças respiratórias, melhorar a qualidade do ar, também é reduzir a quantidade de mortes na Cidade de São Paulo“.

Com já mais de 600 mortes por dia, o ministério da saúde não sabe dizer quando chegará o pico da crise.

Pierre Le Duff, correspondente no Rio de Janeiro, RFI

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.