O barco de pesca Etchizen Maru regressou ao porto após alguns dos seus passageiros terem apresentado sintomas típicos da COVID-19, anunciou ontem o ministério da Saúde da província da Terra do Fogo, no sul da Argentina.

As autoridades de saúde argentinas indicaram que 57 marinheiros, da tripulação de 61 membros, foram diagnosticados com o coronavírus.

O mistério, aqui, está ligado ao facto de todos eles terem passado 14 dias de quarentena obrigatória num hotel da cidade de Ushuaia, a capital da província da Terra do Fogo, e, antes disso, fizeram testes à COVID-19, cujos resultados foram negativos, afirma um comunicado do ministério da Saúde da província.

Dos 61 membros do Etchizen Maru que regressaram, dois deles deram negativo nos testes que fizeram, outros dois ainda esperam pelos resultados, precisou um comité de operações de emergência que está a investigar o estranho caso.

“É difícil estabelecer como a tripulação ficou contaminada, sabendo que durante 35 dias os seus membros não tiveram qualquer contacto com a terra e que o barco se abasteceu uma única vez, ao sair do porto de Ushuaia”, explica Alejandra Alfaro, directora dos cuidados de saúde primários da Terra do Fogo.

Segundo o chefe do serviço de infecciologia do hospital regional de Ushuaia, Leandro Ballatore, trata-se de um caso que “escapa a qualquer referência nas publicações [científicas], pois um período de incubação tão longo nunca foi descrito em parte alguma”.

De momento, a Argentina regista mais de 100 mil casos de COVID-19, o qual já provocou 1859 mortos no país.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.