A justiça moçambicana vai julgar três pessoas: além de António Pinto, estão no banco dos réus Hélder Fumo, ex-diretor financeiro da empresa, e Mia Temporário, gestora da empresa Executive que edita a Índico, revista de bordo da LAM.

São acusados do desvio de 50 milhões de meticais (cerca de 718,4 mil euros).

Esta é a segunda marcação do julgamento, após ter sido adiado em novembro por motivos de saúde dos arguidos no processo.

Na época, os advogados de defesa apresentaram laudos médicos afirmando que os réus não estavam em condições para serem julgados, e que o juiz da causa, Rui Dauane, aceitou.

LFO // JH

Lusa/fim

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.