Existe a necessidade de a comunidade internacional “intensificar o seu apoio à população das Bahamas e ao seu Governo”, disse ainda António Guterres.

Ao referir-se às Bahamas, às inundações em Moçambique, à desertificação do Sahel, aos incêndios na Amazónia, ao degelo no Ártico e à destruição dos recifes de corais, o chefe da ONU exortou os dirigentes do planeta a tornarem-se mais ambiciosos no combate às alterações climáticas.

“Tudo isto confirma o que vimos dizendo, a alteração climática é mais rápida que nós e nós devemos adotar uma abordagem mais ambiciosa naquilo que fazemos para vencer a mudança climática”, sublinhou.

Cerca de 2.500 permanecem desaparecidas nas Bahamas mais de uma semana após a passagem do furacão Dorian por este arquipélago das Caraíbas que provocou 50 mortos, deixou um rasto de destruição e provocou uma maré negra, de acordo com os serviços de socorro locais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.