O secretário-geral das Nações Unidas afirmou que “as consequências sociais e económicas da combinação da pandemia com o abrandamento da economia” vão afectar, por vários meses, a maior parte do mundo.

António Guterres admite que as economias vão recuperar, mas defende que para que isso aconteça “temos de agir em conjunto para conter a disseminação do vírus e cuidarmos uns dos outros”.

O secretário-geral das Nações Unidas lembra que “estamos a viver um tempo que requer prudência e não pânico. ciência e não estigma, factos e não medo”.

António Guterres concluiu que apesar do novo coronavírus ter sido declarado como uma pandemia, é uma situação que pode ser controlada. “Podemos conter a transmissão, prevenir infecções e salvar vidas”.

Para o patrão da ONU aesse posicionamento exige “acções pessoais, nacionais e internacionais sem precedentes, temos de declarar guerra ao vírus”.

O último balanço do Covid-19 aponta para 5814 mortos e 155,520 mil infectados, em mais de 149 países e territórios.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.