Em Angola, o presidente do Sindicato Nacional dos Professores (Sinprof), Guilherme Silva, contrariou, o despacho do Ministério da Educação, que obriga os professores do ensino geral a marcarem presença nas escolas, a partir desta semana, para participarem na organização dos processos individuais dos alunos, dos dados estatísticos e da força de trabalho.

Guilherme Silva receia que os gestores escolares forcem os professores a fazer trabalhos de limpeza, arrumação e organização de arquivos. O Presidente do Sinprof apela ao respeito pela dignidade dos docentes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.