Os Estados Unidos da América deverão reforçar a parceria com o Governo angolano para combater o tráfico de seres humanos no país, informou nesta quinta-feira, em Luanda, a embaixadora americana em Angola, Helen La Lime.

Segundo a diplomata, que falava à imprensa, à saída de uma audiência com o ministro da Justiça, Francisco Queirós, Angola tem feito um trabalho muito forte nesta área, para parar com a desgraça de pessoas sujeitas a trabalhos forçados e a prostituir-se.

Disse que nos últimos tempos tem havido em Angola muitas perseguições aos traficantes, o que anima a diploma americana. “Isso é importante, é preciso parar com eles (traficantes) e pô-los na prisão”.

Fez saber que o seu país tem tido um diálogo contínuo e robusto com o governo angolano na área de direitos humanos, fundamentalmente na questão do tráfico de seres humanos.

A diplomata informou que quadros angolanos têm se deslocado aos EUA, para compreender como esse país tem lidado com esse problema internacional que ameaça todos os países do mundo.    

O tráfico de seres humanos é um fenómeno mundial que tem sido vivenciado por milhões de pessoas de diferentes lugares do mundo. Essas pessoas ficam submetidas a trabalhos forçados para gerar lucros aos grupos exploradores.

Em Angola, pelo Decreto Presidencial nº 235/14, de 02 de Dezembro, foi criada a Comissão Inter-Ministerial contra o tráfico de seres humanos, cujo objectivo é garantir a protecção, assistência, recuperação e reinserção no seio da sociedade de vítimas de tráfico.

A comissão trabalha nos quatro âmbitos principais de luta contra o tráfico de seres humanos (TSH), nomeadamente prevenção, protecção às vítimas, persecução aos autores e parcerias.

Angop