O secretário-geral da NATO, Anders Fogh Rasmussen, declarou em entrevista que as tropas da Aliança Atlântica vão permanecer no Afeganistão "o tempo necessário para acabar o trabalho".

Numa entrevista ao jornal espanhol ABC, hoje publicada, Rasmussen afirma que "os talibãs nunca irão ganhar, e não retomarão o poder pela força".

"A derrota não é uma opção. Nós venceremos", vincou, acrescentando que a NATO jamais permitirá que a Al Quaeda obtenha refúgio no Afeganistão.

De acordo com o ex-primeiro-ministro dinamarquês, a Aliança está a fazer progressos em todo o país porque "há uma boa estratégia, as forças necessárias, e um avanço no terreno".

"Os talibã podem rebentar bombas, assassinar, aterrorizar, mas não podem ganhar", sublinhou.

O secretário-geral da NATO disse ainda que 2011 não haverá retirada das tropas ocidentais do Afeganistão como se tem comentado frequentemente.

"O que vamos fazer em 2011 é um processo gradual para recolocar a responsabilidade da manutenção da segurança nas mãos dos afegãos, quando as condições o permitirem", disse.

Os Estados Unidos e a Nato deslocaram 150 mil soldados para o Afeganistão para combater a revolta desencadeada com a queda do regime talibã no final de 2001.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Lusa/Fim                                                                        

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.