Ao referir que este aumento significativo de casos está ligado ao aumento do número de pessoas fazendo rastreio, Dionísio Cumba, coordenador do Centro de Operações de Emergência de Saúde na Guiné-Bissau (COES), dá conta da necessidade de alargar as capacidades de diagnóstico do país e refere que o pessoal de saúde continua a debater-se com falta de material, nomeadamente máscaras de protecção.

A poucos dias do Estado de Emergência findar no começo da próxima semana e perante o aumento do número de casos positivos de covid-19, Dionísio Cumba considera que é necessário prolongar este dispositivo de excepção e torná-lo mais restritivo “para tentar controlar a propagação da infecção”, este responsável temendo que “as regiões também estejam atingidas”.

Reagindo por outro lado à oferta no passado fim-de-semana pelo Presidente de Madagáscar de um chá que, segundo as suas afirmações, teria virtudes para o combate ao coronavírus, Dionísio Cumba incita a população à prudência sobre este produto acerca do qual a própria OMS emite reservas por não existirem estudos científicos descrevendo os seus efeitos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.