O 4 de Abril de 2002 é uma data que entrou na galeria de ouro da história de Angola, afirmou este fim-de-semana, o vice-governador do Cuando Cubango para o sector político e social, Pedro Camelo.

O responsavel fez este reconhecimento quando intervinha no culto ecuménico de acção de graças aos 15 anos de paz, a serem assinalados esta terça-feira, em todo ao país.

Pedro Camelo sublinhou que o 4 de Abril é uma data indelevel do retorno ao direito a segurança, tranquilidade e a livre circulação de pessoas e bens em todo o território nacional.

“Entre nós, não encontramos dificuldades para compreendermos que os angolanos, com 4 de Abril aprenderam que é possível a convivência na diferença, que a democracia não se faz com armas mas com palavras”, destacou.

Segundo disse, os angolanos compreenderam que nos campos não se plantam minas mas apenas sementes, no sentido de eliminar a fome e a pobreza, criar desenvolvimento e o bem-estar, construir escolas e hospitais para que as crianças cresçam com saúde e garantir conhecimento, habilidades para formar bons quadros e futuros dirigentes do país.

O responsável da plaforma religiosa em Angola, Domingos Chimboma, referiu que é um momento especial quando se está préstimo a comemorar-se uma data importante na vida do povo angolano.

Salientou que quando se trata de paz é um brilho na vida do angolano, que nunca será esquecido, tendo realçado que a igreja joga um papel muito importante na pacificação dos espíritos, incentivar os angolanos para que esqueçam o passado, perdoarem um ao outro.

O culto foi promovido pelo conselho de igrejas cristãs existentes em Menongue, sede capital do Cuando Cubango, tendo contado com a presença de membros do governo, munícipes de Menongue, entre outros convidados.

Angop

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.